É fácil: você se reinventa ou desaparece

Diego Antoñanzas

Especialista em Marketing, Transformação Digital e Experiência do Cliente. Speaker de Thinking Heads.

Desenvolveu sua carreira profissional por quase 20 anos em multinacionais como Heineken e Siemens. Sua paixão pelo Marketing e sua aposta em modelos disruptivos na construção de grandes marcas lhe renderam o prêmio de bronze de melhor diretor de Serviços de marketing em sua etapa profissional anterior. Há alguns anos, ele decidiu empreender e se reinventar, mudando completamente sua carreira, ao fundar uma agência de serviços Premium para o turista de luxo em Madri. Ele combina essa atividade empresarial de sucesso com a de palestrante em vários fóruns de negócios nacionais e internacionais.

Diego oferece uma visão global do futuro da empresa e das marcas ao aplicar os processos de transformação digital. Com o uso do humor, ele consegue tirar o medo das pessoas das mudanças necessárias para sobreviver no novo mercado digital. Diego é apaixonado por novas tecnologias e, por meio de uma linguagem simples e próxima, compreensível para qualquer tipo de audiência, é capaz de conquistar mentes e conseguir transmitir os segredos para fazer os clientes se apaixonarem em um novo mundo em mudança e disruptivo. Ninguém fica indiferente às suas conferências, em que apresenta de maneira leve as últimas novidades, tão complexas como Inteligência Artificial, Big Data, internet das coisas ou novas experiências no mundo do retail.

Ao longo do ano passado, me fizeram muitas vezes a mesma pergunta: o que acontecerá tecnologicamente daqui a alguns anos? Quem dera fosse fácil responder a essa pergunta. Infelizmente, a velocidade com que os eventos estão acontecendo torna quase impossível acertar tudo, mesmo nos próximos meses. É que os avanços estão ocorrendo a uma velocidade exponencial. Mas não vamos ficar nervosos, pare o carro e veja o que será discutido, tecnologicamente falando, nos próximos “dias”.

Sem dúvida, o ano de 2020 será destinado à implantação da rede 5G. Essa nova rede de comunicações permitirá multiplicar a velocidade – e a quantidade – de dados transmitidos entre dispositivos exponencialmente em relação à atual. Por exemplo, em qualquer um dos nossos dispositivos móveis, hoje demoraríamos, para baixar um filme de duas horas, cerca de três horas. Pois bem, com o 5G esse mesmo filme levaria apenas 3 segundos. Essa velocidade inovadora de transmissão de dados vai permitir conectar diferentes objetos, como os carros autônomos. Ou utilizar ao máximo os recursos que o streaming nos traz. Por exemplo, podemos jogar nosso videogame favorito em alta definição de qualquer lugar do mundo com apenas um controle como companheiro de viagem. As cidades serão bem mais inteligentes, e os cuidados com a saúde serão feitos muito mais “à distância” do que agora.

Chatbots equipados com inteligência artificial

Mais e mais clientes estão pedindo para falar com suas marcas favoritas (ou potencialmente favoritas) de qualquer lugar do mundo e a qualquer momento. A única maneira de atender às suas expectativas com folga é fornecer à nossa web/app/rede social/call center um sistema de chatbot equipado com inteligência artificial. O Facebook informou aos investidores que, atualmente, o número de mensagens enviadas entre pessoas e empresas a cada mês chega a 10 bilhões. E, sem dúvida, com sistemas de inteligência artificial e reconhecimento de voz, esse tipo de negócio aumentará significativamente seu volume de negócios. Especialmente quando forem corrigidas as pequenas imperfeições pelas quais podemos adivinhar hoje se o que está por trás de uma voz é uma máquina ou um ser humano. Num futuro próximo, ninguém saberá se falamos com robôs ou pessoas.

A inteligência artificial estará a serviço de todos de uma maneira democrática, pois podemos “alugar” por um tempo limitado ou até um determinado volume de dados máquinas poderosas que não poderíamos comprar nem investindo todos os nossos ativos. O acesso a grandes mentes artificiais de computação será acessível mesmo para as pequenas empresas. Isso também acontecerá com o processamento e análise de dados e com o posterior desenvolvimento de diferentes cenários que nos ajudem a tomar decisões. Tudo será pago pelo tempo ou volume usado. Ninguém “acumulará” investimentos em ativos tecnológicos se realmente não os utilizarem intensivamente. Se, por exemplo, quisermos colocar anúncios por meio do Google Ads para promover nossos produtos, saberemos que o Google definirá as ofertas automaticamente para aumentar a conversão. Uma maneira acessível de otimizar nossos investimentos e, acima de tudo, investir tempo em atender ao cliente como ele merece. Deixe as máquinas pensarem por nós e vamos investir tempo em satisfazer os clientes.

A tecnologia e a gestão ótima dos dados de nossos clientes e de seus comportamentos nos permitem os conhecer melhor. Outro objetivo é aumentar a eficiência e alcançar um menor custo de processos. Também devemos desenvolver inovações sob medida para o cliente ou até criar novas experiências ou produtos que farão nossos negócios crescer (modelo disruptivo de crescimento de negócios).

A realidade virtual, aumentada ou mista, vai se desenvolver totalmente em 2020. Existem marcas como a L’Oreal que já a estão usando nos Estados Unidos para simular – por exemplo – a aparência de uma tintura de cabelo antes de aplicá-la. Ou espaços de varejo que permitem que você experimente as roupas sem precisar entrar em uma cabine desconfortável. Ou perder o medo de aviões. Ou viajar para lugares incríveis sem usar um único meio de transporte. Ou conseguir entender e aprender sistemas complexos por meio de simples óculos imersivos.

Novas redes sociais como a TIK TOK finalmente despontarão em 2020. A nova rede social de origem chinesa (antiga musical.Ly) já é a preferida do público entre 14 e 24 anos. Para esta geração Z, o Facebook é considerado uma rede social de velhos. E os Estados Unidos já o proibiram entre dispositivos governamentais e militares, um sinal claro de sua expansão mundial. Uma série de desafios e uma rede quase virgem do ponto de vista publicitário formam o coquetel perfeito para o sucesso dessa nova rede. Mas ela já está na mira das multinacionais, e inclusive alguns titkokers se atrevem a dizer que já é o novo Instagram. Tempo ao tempo.

A economia circular, o cuidado com o meio ambiente, as mudanças climáticas e o compromisso com a sustentabilidade também são tendências no setor de consumo. Ninguém vai apostar na sua marca, produto ou serviço, se você não souber dizer o que está fazendo para que outros, clientes ou não, desfrutem de um mundo melhor. E já não vale o 0,7. O envolvimento deve ser ativo e você deve poder contá-lo em menos de um minuto.

O Blockchain também terminará de decolar. Não apenas como “livro de anotações e registros”, mas como detentor de contratos inteligentes, com um mínimo ou nenhuma intervenção do usuário. A indústria de produtos de consumo de luxo e premium será a mais beneficiada. As grandes marcas estão trabalhando em sistemas com Blockchain que permitem certificar de maneira simples a autenticidade de qualquer produto. Ainda que, infelizmente, os imitadores estarão já pensando em novas formas de copiar sem serem descobertos, o Blockchain será, felizmente, uma forma segura de combater a indústria de falsificações.

Como indivíduos, devemos estar cientes de tudo o que acontece, ser curiosos e salvaguardar a espécie humana devem estar em primeiro lugar. Isso implica que a robotização e os enormes avanços tecnológicos que vierem devem estar ao nosso serviço e não o contrário. Em 2020 e além, teremos que tomar decisões difíceis sobre o nosso futuro e o das próximas gerações. Mas devemos fazê-lo com serenidade, conhecendo perfeitamente as consequências desses avanços e priorizando, acima de tudo, o bem-estar e a felicidade da raça humana. Não será fácil, mas temos toda a energia, entusiasmo e vontade de fazê-lo.