Resiliência e sustentabilidade pandêmicas

Bruno Basile

Director ejecutivo

Sumarse – Pacto Global Panamá

Bruno Basile é diretor executivo da Sumarse – Pacto Global Panamá Entre 2015 e 2019, foi o responsável pela área de Comunicação da organização e da coordenação geral da Semana de Responsabilidade Social Corporativa (RSC), o evento de sustentabilidade mais importante do Panamá.

Atualmente é vice-presidente da Associação de Diretores de Comunicação do Panamá (DIRCOMPA). Entre 2006 e 2013, foi consultor na agência de comunicação e assuntos públicos LLYC, no Panamá e Espanha. Assessorou empresas de diferentes indústrias na gestão de sua comunicação e reputação corporativa.

Bruno é formado com louvor em Comunicação Social pela Universidade Santa María La Antigua (USMA) do Panamá e tem mestrado em Administração de Empresas pela Illinois State University (ISU).


Se há algo que se tornou claro para nós nos últimos meses é que a pandemia nos levou a repensar não apenas o modelo da sociedade em que vivemos, mas a maneira como nossa economia é construída local e globalmente. Desde a sua criação, a globalização tem sido alvo de críticas e elogios; no entanto, a COVID-19 deu maior destaque para as deficiências de um sistema que assumimos como o único modelo de desenvolvimento em grande parte do mundo.

A Responsabilidade Social Corporativa (RSC) nasceu como uma ferramenta para encontrar um equilíbrio entre aspectos econômicos, sociais e ambientais, entendendo que a empresa não opera em um sistema paralelo ou distante da realidade social, mas é um ator que pode impactar positiva ou negativamente seu ambiente.

Ao longo dos anos, vimos como diferentes empresas e organizações lideraram esse movimento responsável, comemorando os sucessos alcançados e apontando áreas para melhoria. Iniciativas como o Pacto Global das Nações Unidas foram criadas para assessorar e acompanhar o setor privado comprometido com a sustentabilidade. Na América Central, há vinte anos, nasceram as primeiras organizações dedicadas à promoção da RSC. No Panamá, Sumarse, especificamente, surgiu em 2009 com o objetivo de reunir e mobilizar o setor privado e os atores que trabalham para o desenvolvimento sustentável do país.

A mensagem de todos esses atores tem sido uníssona ao longo do tempo: não podemos continuar operando sob um sistema que deixa de lado as necessidades básicas do ser humano. E, apesar do mundo ter visto como a pobreza foi gradualmente reduzida, outros elementos como mudança climática, a desigualdade, a educação de qualidade ou o trabalho decente ganharam relevância. Hoje, a pandemia põe em xeque o progresso que fizemos em todos os níveis, mas, acima de tudo, aumenta as brechas de um sistema que se esqueceu de colocar as pessoas no centro.

Isso nos confronta com a oportunidade de construir um sistema mais justo, voltado para atender às demandas de nosso tempo, que nos permita, como aponta a McKinsey & Co. em um relatório recente, repensar o contrato social, em que instituições, empresas e organizações estejam de acordo com as expectativas dos cidadãos; redefinir o futuro do trabalho e do consumo, entendendo o impacto da pandemia na criação de empregos e os novos costumes que os consumidores adotarão; e, finalmente, passar da globalização das cadeias de suprimentos para um modelo regional, que permita um melhor gerenciamento dos riscos futuros de produção, logística e transporte.

Nesse cenário, é importante que as empresas e organizações reequilibrem suas prioridades. Modelos de negócios resilientes e socialmente responsáveis ​​não são mais opcionais, mas o único caminho para recuperar a atividade econômica e comercial em nossos países. Hoje, o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 17, Alianças para atingir os objetivos, são mais relevantes do que nunca. Por esse motivo, todos os setores produtivos devem disponibilizar, não apenas seus conhecimentos, mas o compromisso de avançar na construção de sociedades verdadeiramente justas e sustentáveis.

Bruno Basile é diretor executivo da Sumarse – Pacto Global Panamá, a organização que promove a Responsabilidade Social Corporativa (RSC) e os 10 Princípios do Pacto Global no país. Ele é vice-presidente do conselho de administração da Dircom Panamá.

Etiquetas: