Perguntas frequentes

Edição 2020
Quem pode participar?

Podem participar Empresas Privadas ou Públicas, Agências de Comunicação/Relações Públicas, ONG, Associações, Organismos Governamentais e Profissionais de todo o mundo, com projetos difundidos, desenvolvidos ou implementados durante o ano 2019, em espanhol ou português.

 

Pode participar qualquer organização ou empresa dos países onde haja associações dinamizadoras, ainda que não sejam membros dessa respetiva associação?

Sim.

 

Podem participar organizações de países não pertencentes à Fundacom?

Sim, podem participar organizações de qualquer país do mundo.

 

Pode um mesmo projeto, ou um excerto concorrer a mais que uma categoria (exemplo: Publicação, Infografia e Apresentação Visual de Dados)?

Sim. Por exemplo, uma Campanha pode concorrer na categoria “Campanha Externa” e um vídeo utilizado nesse projeto concorrer individualmente na categoria “Vídeo”.

 

Com quantas entradas pode concorrer uma empresa?

Com quantas se quiser em general e em cada categoria, ou seja, cada organização pode ter um número ilimitado de entradas.

 

Qual o custo para concorrer?

Para participar você deve pagar € 100 pela inscrição. Além disso, você deverá pagar € 200 por ingresso para projetos das categorias 1 a 21 (Campanhas, Eventos, Mídia e Ferramentas) e € 400,00 para projetos das categorias 22 e 23 (“Compromisso da alta administração com a comunicação da organização “e” estratégia global de comunicação corporativa”).

Exemplo: Uma empresa apresenta duas (2) aplicações, uma para o melhor “Relatório de Sustentabilidade” e a outra para o melhor “Vídeo”.

Registo nos Prémios Fundacom 100€
Custo da candidatura “Relatório de Sustentabilidade” 200€
Custo da candidatura “Vídeo” 200€
TOTAL 500€

Nota: Para candidaturas do Brasil (ABERJE), Espanha (Dircom) e Portugal (APCE) consulte as respetivas associações.

 

Qual é a data limite para a inscrição?

Inscrição online de trabalhos desde o dia 13 de janeiro até ao dia 16 de março de 2020. Serão aceites os projetos desenvolvidos durante o ano de 2019.

 

Como se submetem as candidaturas?

Através da página web fundacom.lat na Secção Prémios e fazer clic no menu “Inscrição”.

Ali deve realizar a apresentação dos projetos e detalhar, por exemplo, a campanha, os seus objetivos, e os materiais de apoio com os textos, imagens, fotografias e vídeos correspondentes. Estes documentos só estarão disponíveis para os membros do júri, com restrições de uso e direitos de autor/ cópia.

 

O que avaliam os Júris?

Os júris avaliam os projetos com base nos materiais entregues pela empresa, organização ou pelo profissional, durante o processo de candidatura.

 

Que critérios utilizarão os Júris para a avaliação?

Os Júris avaliam o enfoque estratégico e conceptual de cada projeto e como, segundo a estratégia implementada, se levou a cabo o seu desenvolvimento, assim como a integração das diversas ferramentas de comunicação.

Também avaliam a criatividade do projeto; o uso de novos métodos, técnicas ou estratégias, de conceção e execução; a continuidade e a qualidade da comunicação com o público-alvo; a gestão e organização interna da campanha; os resultados declarados dos projetos versus os objetivos estabelecidos e os recursos utilizados para atingir esses resultados.

 

Quanto pago por participar na categoria 2, com duas candidaturas na categoria 20 e uma na categoria 23?

Serão €1.100,00.

€200,00 (categoria 2) + €400,00 (2x categoria 20) + €400,00 (categoria 23) + €100,00 de registo.

Registo nos Prémios Fundacom 100,00€ 100,00€
Categoria 2 200,00€
Categoria 20 200,00€
Categoria 20 200,00€
Categoria 23 400,00€
TOTAL 1.100,00€

 

Como faço para submeter candidaturas do Brasil, Espanha e Portugal?

As candidaturas do Brasil, Espanha e Portugal deverão ser submetidas através da respetiva associação, tendo estas toda a informação necessária sobre o processo, nos seguintes links:
BRASIL – ABERJE
ESPANHA – DIRCOM
PORTUGAL – APCE

 

Como é feito o processo de avaliação?

Na primeira fase (Fase Nacional), o júri de cada país apenas avalia os projetos do seu próprio país, elegendo, entre todas as candidaturas, até três projetos por categoria para passar à fase seguinte.

Na segunda fase (Fase Internacional), com um voto válido por país, todos os júris avaliam os projetos que transitaram da Fase Nacional, não podendo votar nos projetos do seu próprio país. No final desta votação, são nomeados os 4 projetos candidatos mais votados em cada categoria, vencendo o projeto com melhor pontuação