CPRP

Fundacom > CPRP

#SomosVoz, uma campanha de todas as agências de RP da Argentina que fala à sociedade

31 Julho 2020 |by Fundacom | Comentários fechados em #SomosVoz, uma campanha de todas as agências de RP da Argentina que fala à sociedade | Conocimiento | ,

É um cenário de incerteza, profissionais de comunicação e relações públicas assumem um papel estratégico, assessorando e acompanhando empresas, marcas e pessoas na construção de mensagens claras que lhes permitam navegar no presente e construir o futuro.

Por isso, sob a premissa “Comunicação sobre”, o Conselho Profissional de Relações Públicas, por meio de sua Comissão de Consultoria, apresentou o #SomosVoz, uma campanha integrada que busca dar visibilidade à importância da comunicação para gerar relacionamentos e fortalecer vínculos.

A ação enfatiza o papel essencial que a comunicação e seus profissionais cumprem, quebrando distâncias por meio da palavra, durante esses mais de 100 dias de quarentena.

Esta é a realidade que vivemos hoje: o distanciamento social adia qualquer expressão física, mas ao mesmo tempo aumenta nossos sentimentos. Nesse cenário, é essencial permanecermos conectados por meio da palavra.

Esta campanha é um marco na história do Conselho, porque é a primeira vez que todas as agências integrantes da Comissão de Consultoria participam de uma atividade conjunta que busca fornecer conhecimento e apoio à sociedade através da comunicação, em um momento tão delicado quanto este.

Sabemos que os comunicadores profissionais são um elo fundamental entre as organizações e seu ambiente. Como pontes para aproximar extremos através da transparência, honestidade, clareza e proximidade, buscamos gerar empatia e compreensão, fornecer contenção, eficiência e aconselhamento profissional com um olhar assertivo, entendendo o contexto geral.

O principal desafio da Comissão de Consultoria é revalorizar a profissão, gerando reconhecimento e legitimidade sobre a importância da gestão de RP nas organizações. Assim, em conjunto e apoiado pelo Conselho em sua totalidade, decidiu-se realizar esta campanha que não apenas valoriza o exercício diário da atividade, mas também a importância da voz e da proximidade das pessoas na hora de estreitar vínculos e criar relacionamentos duradouros.

#SomosVoz é uma campanha integrada, que apresenta vários formatos e peças de comunicação, como: spot audiovisual, conteúdo para amplificação nas redes sociais, press kits, peças animadas com dados de associados e filtros para Instagram. A criatividade esteve sob responsabilidade da agência Thet.

Não há dúvida de que o isolamento social nos afeta: procuramos substituir essa falta de abraços por palavras. O poder das palavras pode transformar e dar um abraço com uma boa mensagem.

A Campanha #SomosVoz teve uma grande repercussão em todas as mídias nacionais do país e uma grande viralização digital em todas as redes sociais, e finalmente conseguiu colocar na agenda midiática a relevância da comunicação e seu papel essencial neste contexto de pandemia mundial.

KEEP READING

Comunicação responsável em tempos incertos

29 Abril 2020 |by Fundacom | Comentários fechados em Comunicação responsável em tempos incertos | Conocimiento | , ,

Mais uma vez, as organizações comprovaram o papel fundamental que tem a comunicação. A busca pela redução da incerteza e a necessidade de levar a seus públicos informações relevantes e adequadas neste contexto sem precedentes de pandemia, mais uma vez recordam a relevância da comunicação como atividade central para seu desenvolvimento.

Em momentos de isolamento, a comunicação buscará interpretar o ambiente e interagir com ele para gerar confiança, eliminando medos e inseguranças, adiantando e apresentando cenários sem alarmar, exagerar nem minimizar, convidando à reflexão comum, divulgando ações e valores, mostrando o impacto e apresentando ideias para sair da situação com sucesso.

Nesse contexto, as organizações são responsáveis ​​pelos efeitos dessa comunicação no espaço público. Como atores de relevância social, devem estar cientes de que suas ações e suas mensagens têm um impacto que vão além de sua cadeia de valor. Assim, se convertem em criadoras da cultura, em desenvolvedoras de valores sociais de maior ou menor influência.

A comunicação é, em essência, uma atividade humana e baseada no diálogo. Como tal, necessita da interação entre as pessoas para desenvolver seu potencial. Estas, em um modelo simplificado, buscarão basicamente construir uma nova realidade superadora por meio da troca de mensagens, pensamentos ou emoções. Este novo estágio pode, por sua vez, continuar evoluindo a partir de novos contatos que seguirão a moldar o espaço em que nos desenvolvemos.

Em tempos de aprofundamento da intermediação tecnológica, as trocas geram uma velocidade ainda maior, quase inacessível, e o fator humano assume uma nova dimensão, é reconfigurado e potencializado. É por isso que o profissional de comunicação tem uma responsabilidade que vai além seu trabalho diário na organização que representa ou assessora.

Um desses compromissos é com a veracidade das informações. Deve tomar decisões com base em bancos de dados oficiais e não sobre rumores ou vazamentos, muito menos replicar mensagens cuja origem não é conhecida. Não pode se tornar um eco de campanhas cujos objetivos são desconhecidos ou reproduzi-las sem questionar sua origem.

Além disso, em momentos como o atual em que, de repente e como nunca havia acontecido antes, todas as organizações entraram em uníssono no “modo de crise”. Em situações de incerteza pelas quais todos passam juntos, a ajuda entre colegas ganha força: é bom saber quais decisões os outros tomaram e o raciocínio por trás dessas ações, pensar colaborativamente para além de objetivos particulares.

É necessário ter uma atitude humilde e de aprendizado contínuo para estar de acordo com os requisitos da época. Acompanhar, estar ao lado, ter a humildade de pedir ajuda e a generosidade para oferecê-la. O crescimento particular ocorre em um ambiente de plena colaboração, no qual os colegas podem aprender uns com os outros, compartilhando experiências, disseminando boas práticas, expandindo conhecimento e construindo o caminho conjunto.

Isso possibilita a cooperação entre os atores sociais para alcançar o sucesso compartilhado e assim, naturalmente, favorecer o desenvolvimento individual, tendo sempre a ética e a integridade como princípios norteadores.

Deve-se transformar o diálogo e a escuta em ferramentas fundamentais de gestão. Fortalecer a empatia e agir corretamente para se comunicar da maneira mais eficiente. Hoje, mais do que nunca, comunicar é escutar. Ações individualistas, que buscam apenas um posicionamento próprio, estão desconectadas das exigências dos públicos.

Hoje estamos pedindo para fortalecer essa visão do contexto, fazer contribuições concretas, sem comunicações vazias, gerar valores e apoiar esforços coletivos. Nesse sentido, é importante fortalecer a interface entre o mundo corporativo e as organizações sociais com as autoridades políticas e, assim, entender que relacionamentos virtuosos podem ser gerados por meio de diálogos éticos e transparentes.

Os tempos que virão necessitarão de uma construção coletiva e colaborativa baseada no diálogo, na qual os profissionais de comunicação terão papel protagonista como conexões fundamentais entre as organizações e seu entorno, como elos para aproximar extremos por meio da transparência, honestidade, clareza e proximidade.

Os ensinamentos permanecerão após essa experiência de solidariedade e de cuidado comunitário sem precedentes. A comunicação institucional é uma função acostumada ao contato pessoal, às conversas, ao encontro. A transformação digital das organizações teve com a quarentena uma aceleração que mudará para sempre as formas de interação. Agora sabemos que podemos trabalhar a distância, que interesses podem ser gerenciados por teleconferência, que não servem de nada a superexposição individualista ou falta de escuta, que replicar informações sem verificação ou sustentação pode ser tão perigoso quanto a própria doença.

Esperamos que a evolução seja ainda mais profunda e os profissionais de comunicação possam ajudar uns aos outros para nos preparar para a sociedade que surgirá quando sairmos de casa. Temos que focar em nós mesmos, para que, nesses tempos, não estarmos alheios ao contexto e sermos um fator de mudança nas organizações que fazemos e representamos.

Devemos ter consciência de que somos protagonistas ativos da transformação do espaço público e da construção de um ecossistema social. Temos uma responsabilidade. Mais uma vez, somos confrontados com uma oportunidade única de fazer as coisas de uma maneira diferente. Depende de nós aproveitar ou não essa oportunidade.

KEEP READING

Renovação de autoridades no Conselho Profissional de Relações públicas

14 Outubro 2019 |by Fundacom | Comentários fechados em Renovação de autoridades no Conselho Profissional de Relações públicas | Actualidad | , ,

A entidade profissional mais representativa do setor de comunicação institucional realizou sua Assembleia anual de associados na qual foi designado o novo Conselho de Administração para os próximos dois anos. Pablo Cattoni continuará como presidente do Conselho e será acompanhado por uma equipe de trabalho diversificada e multidisciplinar que tem como objetivo seguir valorizando a profissão na Argentina.

Buenos Aires, 29 de julho de 2019. No âmbito de sua Assembleia anual de associados, o Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina, a entidade mais representativa do setor de comunicação institucional em nosso país, apresentou seu novo conselho de administração que liderará a instituição pelos próximos dois anos.

Pablo Cattoni, Diretor de Assuntos Públicos e Governamentais da Dow Argentina, foi reeleito como presidente e liderará uma equipe de referência, que representam os profissionais da comunicação em seus diferentes campos de ação: consultoria, corporativo, setor público, terceiro setor, empresários, Academia e estudantes.

Como parte da apresentação do trabalho realizado, Pablo Cattoni pontuou: “Queremos que o Conselho seja um parceiro do associado para gerar valor em todas as etapas da profissão. Poder ser um espaço para que os colegas em cada etapa da carreira possam encontrar uma possibilidade de desenvolvimento. Um lugar em que cada um possa crescer individualmente, possa colaborar com o crescimento daquele que está ao lado e impulsione as próximas gerações a ter uma profissão cada vez melhor e, cada um de nós, seja um profissional melhor”.

Além de Cattoni, o Conselho de Administração será composto pelos seguintes profissionais: Alejandro Alvarez Nobell (Eupreba), Alejandro Anderlic (Salesforce), Adrián Arroyo (UNLZ), Leonardo Báez (consultor independente de OSC), Brenda Bianquet (L´Oreal), Patricio Borda (Full PR), Alejandra Brandolini (AB Comunicaciones), María José Buzon (Buzon & Co.PR), Diego Campal (Jeffrey Group), Eugenia Fernicola (Carrefour), Mariana Jasper (Alurralde, Jasper e Associados), Juan Labaqui (Uber), Lucila Lalanne (Grupo Techint), Lucila Maldonado (LATAM), Pablo Marco (Nissan), Lorena Marino (Governo da Cidade de Buenos Aires), Facundo Pais (Consultor Independente), Ailen Peroni (HSBC), Lucia Roel (Arrualde, Jasper e Associados), Sol Rodrigo (Newsan), Silvina Saguier (Arcos Dorados) e Mariano Vila (LLYC).

Sob o lema de #ConsejoEnMovimiento, esta nova administração buscará seguir gerando valor na comunidade profissional, debater os eixos centrais, bem como abrir espaço para a análise de novos desafios e tendências. Nestes próximos dois anos, continuaremos com as atividades emblemáticas do Conselho, como a Conferência Internacional de Relações Públicas, a Maratona Solidária, o ciclo de Capacitação Upgrade, o Ciclo #Conectados – que se realiza em conjunto com o Círculo de Dircoms – aos quais novas propostas serão adicionadas.

Nesse novo período, a instituição também terá um Conselho Honorário composto por ex-presidentes do Conselho e referências do jornalismo, da Academia, de consultorias e de comunicação política e empresarial que, a partir de sua experiência, fornecerão um olhar enriquecedor para orientar os objetivos propostos.

Sobre o Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina

O Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina é uma entidade sem fins lucrativos que há mais de 60 anos reúne os profissionais da área. Somos referência em Relações Públicas em nosso país e o âmbito natural de representação e inter-relação para os profissionais.

Nosso objetivo é oferecer um espaço de intercâmbio e conhecimento, que se traduza em capital intangível para o crescimento de nossa profissão.

Oferecemos aos nossos associados cursos, seminários e atividades relacionadas com a profissão, material bibliográfico, benefícios exclusivos em aluguel para eventos, descontos em serviços e proporcionamos um local de encontro para profissionais de todo o país.

Reunimos mais de 600 profissionais, 30 das mais prestigiosas consultorias de Comunicação e Relações Públicas e as 17 universidades que ditam os rumos da carreira em todo o país.

O Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina é, em essência, uma instituição que estimula o diálogo, o entendimento e a compreensão em nossa sociedade.

KEEP READING

Os desafios da comunicação nas organizações do Terceiro Setor na América Latina

20 Dezembro 2018 |by Fundacom | Comentários fechados em Os desafios da comunicação nas organizações do Terceiro Setor na América Latina | Conocimiento |

Na edição 2016-2017 do Latin American Communication Monitor (LCM), o maior estudo sobre a profissão e a gestão em comunicação estratégica e relações públicas da região, organizado pela EUPRERA, com o apoio da Dircom na Fundacom; são esclarecidas as poucas dúvidas remanescentes sobre a necessidade enfrentada pelas organizações não-governamentais de inovar para se adaptar a uma sociedade cada vez mais digital e transmidiática. 94,9% dos profissionais de comunicação do terceiro setor acreditam que, em 2019, “a comunicação através de celulares (apps, sites para celulares/tablets) será o meio para se comunicar com stakeholders, gatekeepers e audiências mais importantes”; seguido em um 92,4% por “social media e redes sociais (Blogs, Twitter, Facebook e análogos)” e em um 83,8% por “comunicação online via web, e-mail, intranets”.

Evidentemente, as novas formas de relacionamento e vínculo social mudaram e colocam vários desafios às lógicas clássicas de produção, circulação e apropriação de mensagens no modelo tradicional de comunicação. A complexidade da qual falam autores como Morin, a saturação informativa e os efeitos da tecnologia e da mídia digital no público hoje, apresentam um cenário que requer outros pontos de vista. Essas visões revisionistas de corte contingencial, baseadas na teoria dos sistemas abertos, sustentam que a eficiência resulta da capacidade de adaptação de estratégias de comunicação para a dinâmicas situacional determinada por variáveis tecnológicas, ambientais, humanas, culturais e socioeconômicas.

Neste contexto, as organizações do terceiro setor, há várias décadas, abrem caminho para novas alternativas que propõem mudanças no modelo social e também produtivo. Embora, em suas origens, essas correntes pareciam marginais, elas atualmente se apresentam como eixos centrais nos debates públicos, privados e da sociedade civil. Desdobram-se, então, estratégias comunicativas que promovem ações que vão além da conquista dos interesses mútuos (de organizações e indivíduos), buscando também o bem-estar social. Essa abordagem, centrada no paradigma da comunicação positiva e no modelo de motivação mista, tenta desenvolver ações comunicacionais baseadas na empatia, no diálogo, na reflexão, no reconhecimento das diferenças e nos valores.

Em resposta a esse fenômeno em crescente desenvolvimento, o Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina, com mais de 57 anos de existência, criou em 2018 a Comissão de comunicações nas Organizações da Sociedade Civil com o objetivo de gerar um espaço permanente de pesquisa, formação e trabalho colaborativo para promover o desenvolvimento profissional da comunicação no setor. Atualmente, a mesma está composta por mais de 20 organizações com sede na Argentina e está focada em gerar conhecimento sobre relações públicas no terceiro setor na Argentina; facilitar espaços de networking a partir de necessidades comuns; gerar vários projetos dentro da comissão que permitam desenvolver habilidades e ações dentro das equipes de comunicação das organizações sociais; promover encontros de trabalho no Conselho para abordar várias temáticas ou aspectos necessários na gestão dos DirComs.

Um dos primeiros objetivos desta comissão foi realizar um diagnóstico para conhecer o status das áreas de comunicação do terceiro setor e suas equipes técnicas, bem como os desafios e expectativas de capacitação. Cerca de 50 organizações da sociedade civil participaram durante os meses de agosto e outubro de 2018. Entre os resultados mais destacados, a pesquisa mostra que, na Argentina, 62% dos responsáveis pela comunicação têm formação específica nesse campo e 44% exercem este papel há mais de 3 anos; o que diz muito sobre o alto nível de profissionalização e estabilidade da função. No entanto, 49% das organizações disseram contar com equipes técnicas de 2 ou menos pessoas e apenas 38% têm um orçamento exclusivo para a área de comunicação.

Em relação aos processos de inovação, em consonância com os resultados do LCM que mencionamos, o estudo realizado pelo Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina afirma que mais de 80% dos profissionais que atuam em organizações da sociedade civil desenvolvem funções de social media e os interesses de formação mais escolhidos foram: comunicação digital, marketing social (53%), campanhas de criatividade (44%) e comunicação de impacto (20%).

Novos formatos, novas estratégias: é possível apresentar as questões sociais na ficção?

Os casos da Fundación Huésped e Familias Diversas no horário nobre da televisão argentina representam as características que o desenvolvimento do setor tem na Argentina.

A Fundación Huésped é uma organização argentina com alcance regional que, desde 1989, atua nas áreas de saúde pública com o objetivo de garantir o direito à saúde e ao controle de doenças. Especificamente, concentra-se em questões relacionadas a direitos sexuais e reprodutivos, doenças transmissíveis e vacinas. Sua proposta de valor visa alcançar um impacto no público; gerar conhecimento biomédico e social relevante e integrado; desenvolver capacidades em prevenção, tratamento, saúde e direitos para a população em geral, grupos vulneráveis e profissionais; fornecer aconselhamento e assistência direta às pessoas afetadas, a suas redes, a profissionais e empresas; e realizar campanhas massivas de comunicação e prevenção.

Nesse sentido, para abordar questões relacionadas ao HIV/Aids, a fundação gerencia ações inovadoras e de alto impacto por meio de diferentes canais de comunicação. Considera que a ficção é um instrumento fundamental para difundir mensagens sobre essa doença, naturalizando os aspectos mais importantes do problema para reduzir o estigma e a discriminação que o cercam. Por essa razão, todos os anos realizam um especial para 1º de dezembro, Dia Mundial da AIDS, que é transmitido pelo canal de televisão El Trece. Os atores doam seu tempo e seu cachê, a produtora trabalha a custo mínimo e o canal doa todo a arrecadação em vendas publicitárias para a fundação.

Além da Fundación Huésped, a Asociación Familias Diversas de Argentina (AFDA), dedicada desde 2013 a promover os direitos e a real igualdade para todas as formas possíveis de famílias da sociedade argentina – especialmente as famílias LGBTIQ –, assessorou a telecomédia 100 Días para Enamorarse, que é transmitida pela TELEFE na figura de um personagem fictício que faz história na promoção dos direitos das pessoas trans. Para isso, a ADFA se reuniu com a atriz Maite Lanata para compor “Juani”, uma adolescente que não se sente confortável em seu corpo de mulher e busca sua identidade sexual em meio a um estágio de transição. Desta forma, sua causa social foi apresentada em nível nacional e a ADFA foi reconhecida na promoção dos Direitos Humanos.

Esse modelo de campanha permite alcançar um público de massa com uma mensagem social em um formato acessível que reúne entretenimento e emoção. Desta forma se consegue manter a atenção do público e permear seus objetivos nas imagens e representações. Ao mesmo tempo, permite arrecadar fundos para organizações sociais através de vendas publicitárias. Como complemento, esta ação é replicada tanto nos informes para a imprensa como nas redes sociais, amplificando a mensagem.

Próximos desafios

Entre os objetivos propostos para a comissão, nos próximos meses se pretende formar uma rede ibero-americana de comunicação no terceiro setor com base em experiências similares ao do Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina no âmbito da Fundacom. Mais informações: tercersector@rrpp.org.ar

KEEP READING

Primeiro Programa Integral de Capacitações do Conselho Profissional de Relações Públicas

20 Junho 2018 |by Fundacom | Comentários fechados em Primeiro Programa Integral de Capacitações do Conselho Profissional de Relações Públicas | Actualidad |

A partir do planejamento da Comissão Diretora 2017-2019 do Conselho, optou-se pela realização de diferentes “pilares”, ou temas relevantes, para conseguir o cumprimento da missão: “Ser Sócio do Sócio, em cada etapa da profissão”.

Um deles é o pilar de Cursos e Capacitações, em que se planteou um grande desafio, o de dar aos colegas a possibilidade de acesso ao conhecimento de grandes profissionais, especialistas com muita experiência, que estão dentro do Conselho ou muito próximos a ele, a partir do quais se pode prender.

Neste sentido, a equipe liderada pela licenciada Lucía Roel e integrada por estudantes e profissionais das áreas corporativa e acadêmica, desenvolveu uma pesquisa interna entre os sócios para determinar quais temas são de seu interesse, quais tempos e horários têm disponíveis durante a semana para capacitarem-se, entre outros aspectos que serviriam para desenvolver um plano consistente com suas necessidades. Com os resultados em mãos, foi criado um programa integral de capacitações com uma grande oferta de cursos, workshops, instâncias de mentoria e palestras interessantes que serão lançadas ao longo do ano.

“O Programa de Capacitações do Conselho é o resultado de um grande esforço, de unir o trabalho de várias comissões com as necessidades concretas e atuais dos profissionais, colegas e estudantes que querem agregar conhecimento”, disse Lucia Roel e continuou “estamos felizes em conseguir isso porque já era muito importante profissionalizar a oferta de capacitações do Conselho para poder levar aos colegas propostas de modernização profissional e contribuir para sua atualização e desenvolvimento de carreira”.

A primeira capacitação que foi realizada em Comunicação Interna, na quinta-feira, 31 de maio, na nova sede do Conselho, tratou especificamente de como gerar culturas colaborativas, quais são as chaves para alcançá-las, quais ferramentas são necessárias. O especialista responsável por essas informações foi Martín González Frígoli, Doutor em Comunicação, Professor titular universitário, Diretor Executivo da consultoria AB Comunicaciones, com mais de 17 anos de experiência na execução de planos estratégicos de Comunicação interna para organizações, tanto em seu país quanto na América Latina e na Europa.

As próximas etapas serão o workshop de Gestão de Crise na Era Digital e a capacitação em Comunicação Digital, cujos detalhes serão comunicados através de redes sociais e no site oficial do Conselho Profissional de Relações Públicas.

Para mais informações, os interessados podem escrever para o seguinte e-mail: capacitaciones@rrpp.org.ar

KEEP READING

“O poder das Relações Públicas na formação da Agenda Pública”

25 Abril 2018 |by Fundacom | Comentários fechados em “O poder das Relações Públicas na formação da Agenda Pública” | Actualidad | ,

O Conselho PR da Argentina realizará a 6ª edição do mais importante evento de divulgação científica e profissional do setor na região.

O Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina (CPRP) anunciou que o dia 6 de setembro, na Usina del Arte (Cidade de Buenos Aires), será a data de sua 6ª Conferência Internacional de Relações Públicas (CIRP) que terá como eixo temático “O Poder das Relações Públicas na formação da Agenda Pública”. Este é o evento bienal mais relevante da região em matéria de Relações Públicas e Comunicação Institucional.

“O CIRP é um evento que reúne nossa comunidade profissional na região e esperamos novamente poder conversar e trocar ideias para que as relações públicas tenham cada vez mais um impacto positivo maior na vida empresarial e institucional”, disse Mariana Jasper (Alurralde, Jasper+Asoc), Presidente do comitê organizador do evento. Jasper acrescentou: “Temos grandes expectativas para esta edição, esperamos palestrantes internacionais com visões inovadoras e um crescimento importante do nosso público. Na última edição, participaram da CIRP mais de 450 profissionais do setor e esperamos superar amplamente essa cifra em setembro” e concluiu: “recomendamos que as pessoas estejam atentas ao site do Conselho, consultem seus endereços de contato ou falem diretamente conosco pelo e-mail cirp@rrpp.org.ar“.

Após 5 edições que foram elevando o patamar de qualidade do evento, a 6ª edição será uma jornada com palestrantes internacionais como o Presidente da Global Alliance, José Manuel Velasco e Adolfo Corujo, Sócio e Diretor Geral Corporativo de Talentos, Organização e Inovação de Llorente Cuenca. Nos próximos dias, a agenda final do evento será divulgada.

Fonte: CPRP (Argentina)

KEEP READING

18ª Maratona Solidária de Relações Públicas – Argentina

28 Julho 2017 |by Fundacom | Comentários fechados em 18ª Maratona Solidária de Relações Públicas – Argentina | Actualidad | , ,

O evento de Responsabilidade Social do Conselho aconteceu na sexta-feira, 2 de junho, em Mendoza, Mar del Plata, Rosário, Córdoba e Buenos Aires, simultaneamente. A maratona contou com a participação de mais de 220 pessoas e 34 ONGs.

O Conselho Profissional de Relações Públicas renovou seu compromisso com o terceiro setor por meio da Maratona Solidária. A 18ª edição do evento aconteceu nas cidades de Mendoza, Rosário, Mar del Plata, Córdoba e Buenos Aires. A atividade envolve assessoramento gratuito em relações públicas às ONGs. “Pela primeira vez, ‘federalizamos’ a Maratona Solidária, e agradecemos muito a todos aqueles que tornaram isso possível”, disse Ignacio Viale, presidente da entidade.

Equipo Asesor de Bs. As con la ONG Ecohouse

Participaram desta edição mais de 220 pessoas, entre integrantes de ONGs, estudantes e profissionais de destaque no setor das relações públicas, além de 34 organizações do terceiro setor. Para a realização da Maratona, foram aproveitados os espaços e a estrutura logística da Universidade Siglo 21, da Universidade Aberta Interamericana de Rosário, da UCAECE Mar del Plata e da Universidade del Aconcágua.

“Como todos sabem, a ideia da Maratona Solidária é que os melhores consultores e profissionais de RP ofereçam assessoramento gratuito às ONGs da Argentina”, afirmou Gustavo Averbuj, integrante da equipe de organização no momento da abertura do evento.

Já no encerramento, Alejandra Brandolini, integrante do comitê organizador, fez um balanço da jornada: “Isso demonstra que quando queremos, podemos trabalhar juntos pelo bem comum”.

A Maratona nasceu no ano de 2006 e teve lugar em diferentes cidades da Argentina, como Córdoba, Mendoza e Mar del Plata, além de Buenos Aires. Desde 2012, além dessas localidades, a Maratona Solidária também se realiza na cidade de Saragoça, na Espanha, como parte de um convênio de colaboração e intercâmbio de boas práticas com organizações profissionais similares em outros países.

Como é a dinâmica

Para cada ONG, são indicados dois jovens profissionais, que têm o papel de tutores e elaboram um relatório da situação, descrevendo as características gerais e as necessidades comunicacionais da organização. Para isso, eles devem realizar uma entrevista com a entidade a que foram indicados. Os especialistas em comunicação designados para cada uma dessas ONGs receberão esse relatório elaborado pelos tutores para conhecer previamente o panorama geral da organização.

No dia da Maratona, cada ONG é contemplada com sessões independentes de duas horas, nas quais é oferecido o assessoramento gratuito em relações públicas e comunicação. Os tutores tomam nota dos temas e sugestões levantadas durante as sessões de capacitação, para que possam confeccionar um documento final que contenha recomendações dos profissionais para cada situação específica.

O documento final elaborado pelos especialistas é entregue para a respectiva ONG em um prazo de 30 dias após a Maratona, encerrando, assim, o assessoramento.

 

Fonte: CPRP (Argentina)

KEEP READING

Possível regulação sobre a Gestão de Interesses, Argentina

29 Novembro 2016 |by Fundacom | Comentários fechados em Possível regulação sobre a Gestão de Interesses, Argentina | Actualidad, Actualidad CIBECOM, Asociaciones Iberoamericanas de Comunicación, Noticias | ,

Foi incentivada pela Secretaria de Assuntos Políticos e Institucionais da Argentina, liderada por Adrián Pérez, para estabelecer os primeiros passos rumo a uma regulamentação da atividade de gestão de interesses. O Conselho Profissional de Relações Públicas (CPRP) esteve presente como órgão que representa os profissionais da atividade.

No Salão Federal do CCK, na Argentina, no passado mês de agosto, se realizou o primeiro encontro para começar a reunir argumentos para um anteprojeto de lei para regulamentar a gestão de interesses (lobby). Para a mesma, foram convocados representantes do Governo, do setor privado e de ONGs, dentre as quais participou o Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina (CPRP). “Ficamos muito satisfeito que o governo busque a transparência”, disse Ignacio E. Viale, presidente da entidade.

O Conselho de Relações Públicas (CPRP) foi convidado a participar como representante dos profissionais tanto de relações públicas como de outras áreas, que poderiam ser afetados por uma possível regulamentação da atividade de lobbying ou gestão de interesses.

“Apoiamos a iniciativa e somos a favor de uma regulação que não seja restritiva para a atividade, mas que gere transparência na gestão de interesses”, disse Ignacio Viale, que acrescentou: “buscamos desmistificar a ideia de que o lobby é uma atividade obscura”.

A “Mesa Redonda” foi organizada por Adrián Pérez, Secretário de Assuntos Políticos e Institucionais do Ministério do Interior, Obras Públicas e Habitação da Nação Argentina. Além do mencionado encontro, o Secretário prometeu uma série de reuniões posteriores que ajudarão a constituir uma Lei Nacional que regule a atividade e consiga uma maior transparência na relação entre o setor público e o provado.

Além de ter sido convocado como orador o Presidente do Conselho Dr. Ignácio Viale, foram convidados e participaram da reunião seu vice-presidente Juan Pablo Maglier e o Secretário Don Miguel Gimenez Zapiola.

“Estamos muito satisfeitos que o Conselho tenha sido convocado como órgão representativo da profissão nos debates anteriores à conclusão da Lei. Isso nos dá a ideia de que estamos caminhando no caminho correto para fortalecer e expandir as diversas disciplinas das Relações Públicas e da Comunicação Institucional”, concluiu Ignacio E. Viale.

ley-gestion-intereses-2

KEEP READING

Conclusões. Encontro sobre Sustentabilidade e Comunicação da Comissão de Intercâmbio Profissional do Conselho de Relações Públicas (CPRP, Argentina)

31 Outubro 2016 |by Fundacom | 0 Comments | Actualidad |

No último 24 de agosto, aconteceu em Buenos Aires, Argentina, o evento “Intercambiemos, el aporte de la Comunicación y las RRPP a la Sustentabilidad desde las Empresas” (em tradução livre, “Troquemos, a contribuição de Comunicação e Relações Públicas para a Sustentabilidade Empresarial”). O evento foi moderado pela diretora da editorial Visión Sustentable Valeria Garrone e contou com um painel formado por Patricia Sclocco, diretora de Comunicação e Assuntos Públicos de Securitas Argentina, María Eugenia Rodríguez, coordenadora do Centro de Sustentabilidade Social da Universidade Siglo XXI, e Leonardo Hernández, coordenador de Comunicações do CEADS.

María Eugenia Rodríguez, da Universidade do Siglo XXI, deu início à jornada e explicou como funciona o Centro de Sustentabilidade da Universidade. Segundo comentou, o Centro busca que os alunos “saiam da aula e implementem os valores da responsabilidade social e solidariedade”. Todos os alunos devem cursar uma matéria obrigatória na qual participam em um grupo de 2000 ONGs selecionadas para esta finalidade. Segundo explicou, 40% dos que participam aderem às organizações como voluntários.

Patricia Sclocco da Securitas Argentina contou que, ainda que não tenham um programa específico de CSR, aplicam critérios de sustentabilidade a todas as operações da companhia, baseados nos princípios de transparência, melhora das condições de empregabilidade dos funcionários e diferentes programas educativos. Sobre os desafios do setor de segurança privada, destacou que a reputação geral não é boa e que aproximadamente 46% devem avançar com maior regularização.

Leonardo Hernández, de seu lado, sustentou que a comunicação está presente em todo o ciclo da sustentabilidade, desde o início, em que se faz um mapa de atores, até o final, quando se avalia o impacto.

Para Sclocco, o relatório de sustentabilidade é um dos documentos mais importantes da companhia, uma excelente ferramenta de gestão dos vínculos com os stakeholders e um requisito muito demandado hoje pelos clientes.

Ambos membros do painel consideraram que a construção de mensagens deve ter consistência. “A mensagem comunicacional direcionada para fora deveria ser a mesma que se direciona para dentro”, sustentou Hernández. Nesse sentido, destacou que a comunicação hoje é uma conversa, em que devemos fundamentalmente escutar nossos públicos.

Sobre o lugar que ocupa do Dircom (diretor de comunicação) nas estruturas, Patricia considerou fundamental direcionar o olhar que temos desde “fora”. Na companhia, a operação costuma ver que tudo funciona bem, mas a visão da comunidade e dos meios nem sempre percebe o mesmo, e este é um importante ponto de partida para impulsionar melhoras dentro da empresa. Em seguida, destacou a necessidade dos profissionais de estar em contínua formação e atualização devido às rápidas mudanças em técnicas e tecnologias que vive a profissão.

KEEP READING

Consejo Profesional de Relaciones Públicas de la República Argentina

22 Abril 2016 |by Fundacom | Comentários fechados em Consejo Profesional de Relaciones Públicas de la República Argentina | Asociaciones |

O Conselho Profissional de Relações Públicas da República Argentina é uma entidade sem fins lucrativos que agrega os profissionais das Relações Públicas neste país. É uma referência do setor na Argentina e o espaço natural de representação e relacionamento para os profissionais.

Iniciou a sua atividade em 1958 como Associação Argentina de Profissionais de Relações Públicas, fundindo-se em 1990 com a Sociedade de Diplomados em Relações Públicas.

O seu objetivo é disponibilizar um espaço de intercâmbio e de conhecimento, que se traduza numa real mais valia para o crescimento da profissão.

Disponibiliza aos seus associados cursos, seminários e atividades relacionadas com a profissão, material bibliográfico, benefícios exclusivos em salas para eventos, descontos em serviços, sendo um ponto de encontro para os profissionais de todo o país.

KEEP READING